Edvaldo é recebido por odontólogos e firma compromisso com a classe

O candidato Edvaldo Nogueira (PC do B) foi recebido na segunda-feira (17) no Conselho Regional de Odontologia de Sergipe (CRO/SE). No encontro, os odontólogos puderam mostrar os anseios e as necessidades da classe para o prefeiturável e ouvi-lo sobre um dos problemas mais graves da atual gestão: a saúde.

A conselheira Miriam Passos Brandão representou o presidente do CRO/SE Anderson Lessa Siqueira na reunião e foi acompanhada na mesa pelo representante do Sindicato dos Odontólogos de Sergipe, Marcos Santana. Ela destacou as principais propostas da categoria e também dos auxiliares de saúde bucal para a área, que também foi degradada pela atual gestão na prefeitura de Aracaju.

30099220370_b9ef31b014_b Pautas

“A prefeitura criou uma taxa de vigilância sanitária e cobra o mesmo valor para qualquer estabelecimento odontológico, seja ele um consultório ou uma clínica. Pedimos também o aumento do número de equipes de Saúde bucal, muito defasados em relação às equipes de Saúde da família. É necessário também fazer concurso público para recompor o quadro municipal e a isonomia salarial com a classe médica e dos auxiliares de Saúde bucal com os auxiliares de enfermagem”, ressaltou, lembrando também da necessidade da melhoria da estrutura de trabalho para atender melhor a quem precisa.

“É necessária a aquisição de novos equipamentos, como aparelhos de raio X – atualmente há apenas um no município -, a individualização dos consultórios, a reestruturação do Centro de Especialidades Odontológicas (CEO) Zona Sul e a criação de outro CEO na Zona Norte”, afirmou Miriam.

Bem estar

29764628773_4c837379bc_b“Hoje é dia 17 e os profissionais ainda não receberam da prefeitura. Na época de Edvaldo vivíamos um bem estar na odontologia em Aracaju, que chegou a ganhar prêmio no Rio de Janeiro. Com Marcelo Déda e Edvaldo foi criado o plano de carreira e tínhamos um canal de conversa permanente”, destacou Marcos Santana.

Edvaldo se comprometeu com basicamente todas as pautas, a curto e médio prazo, e começou a sua fala relembrando justamente do prêmio Brasil Sorridente recebido em 2010. Na época, Aracaju apresentava os melhores indicadores relativos à quantidade de habitantes por número de cirurgiões dentistas, de equipes de saúde bucal, saúde da família, policlínicas e centros especializados de odontologia, ficando a frente de capitais como Florianópolis (SC) e Fortaleza (CE).

“Com Déda e depois comigo criamos o melhor sistema de Saúde da história de Aracaju, com o fortalecimento do SUS. Tínhamos 95% de cobertura de saúde bucal no município na minha época com 65 equipes que atuavam nas escolas, entre os idosos, entre outros, além do programa de correção de fissura labial e lábio leporino. Hoje, infelizmente houve um decréscimo muito grande nas políticas públicas”, afirmou.

Crise

O candidato também destacou que, num momento de crise como a atual, é necessário um político experiente, determinado, e que saiba pensar com a própria cabeça. “Foram quatro anos de desmonte, vou colocar alguém na Saúde sem amarras partidárias, com capacidade de diálogo, de liderar e unificar a área. Vamos fazer um mutirão para reconstruir a Saúde. Hoje as coisas estão sendo feitas por vontades e acertos, e não por necessidades”, explicou.

Edvaldo também destacou a importância do concurso público. “É fundamental, para que o profissional tenha a experiência com a comunidade. A rotatividade na Saúde é trágica para o serviço público. Minhas prioridades já de início são de pagar em dia, resolver os problemas da saúde e da segurança pública e de infraestrutura. João Alves mexeu com a autoestima dos servidores públicos, criou um clima de desânimo geral. Vamos voltar também com os cursos de capacitação permanente, essenciais para o profissional de Saúde”, afirmou.

30099223550_8f3a9ceace_bRecursos

O candidato firmou compromisso em rever a taxa de vigilância sanitária, “para sermos justos. Já fui prefeito e não quero voltar por vaidade, já deixei o meu nome na história da cidade, mas ainda não estou satisfeito. Na minha gestão nunca houve nenhum escândalo de corrupção, nunca compactuei com isso. Quero voltar para mostrar para as pessoas que a política pode ser feita com ética, ombridade e honradez”, ressaltou.

Edvaldo também se comprometeu em buscar recursos do Governo Federal e de instituições financeiras até estrangeiras para resolver os problemas da Saúde. “Sei fazer projetos, tenho a experiência. Se eu achasse que não conseguiria tirar o município da crise, nem me candidataria. Assumo um compromisso com as pautas apresentadas e, se eleito, vou abrir cada vez mais espaços na agenda para ouvir as categorias”, explicou.

 

Fotos: Janaína Santos

Deixe uma resposta