Edvaldo se compromete com valorização do servidor e regularização dos salários

30099221920_d5336d6be1_bO 28 de outubro é celebrado nacionalmente como o Dia do Servidor Público, mas em Aracaju parece não haver muito o que comemorar. Na administração do prefeito João Alves Filho (DEM), os últimos anos foram de muita lamentação para os trabalhadores de diversas áreas do município, que além de não se sentirem valorizados, sofreram com atrasos de salário e com o inchaço do número de cargos comissionados. O resultado: greves e mais greves, que prejudicaram serviços públicos vitais como Saúde e Educação.

E mesmo com tanta mobilização, os servidores públicos municipais permanecem com os salários atrasados. O que mais impressiona de todo este caos no funcionalismo é que a situação era completamente inversa quando o candidato Edvaldo Nogueira (PC do B) era o prefeito.

28705355464_3c4fa4ee18_oSalário em dia

“Em 6 anos e 9 meses de gestão, eu nunca atrasei o salário. Pagava rigorosamente em dia, às vezes até antes, quando não era dia útil. Implantei o Estatuto do Servidor e o plano de cargos e carreiras. Pensei também na aposentadoria, consolidando a previdência municipal, tanto que deixei cerca de R$ 200 milhões em caixa”, relembra Edvaldo, que sempre valorizou o servidor, seja no próprio trabalho, seja na questão salarial.

“Nunca fui um político demagogo. Quando prefeito, em época de crise, já dei aumento linear para todos de 1%. Mas no outro ano, dei 18%, depois 17%. Com esses aumentos possíveis anualmente, houve servidor que ao se aposentar na minha época teve aumento de 45%. Também investimos no Centro de Educação Permanente, qualificando e dando condições de trabalho”, afirmou ele que ao longo desta campanha se reuniu com as categorias de servidores para ouvir delas suas reivindicações e apresentar propostas.

28702940343_60ccd15c97_oConcurso Público

Edvaldo também acredita no concurso público como ferramenta, tanto para gerar empregos no município e girar a economia, quanto para dar estabilidade a serviços públicos essenciais. Na sua gestão, gerou 3.400 vagas desta forma e pretende abrir ainda mais vagas em sua futura gestão, voltando com as mesas de negociação permanentes com as categorias.

“Edvaldo sempre tratou os servidores municipais como parceiros fundamentais no trabalho da Prefeitura. A prova disso é a admiração que conquistou entre os funcionários e o carinho que eles têm por ele. Os servidores da prefeitura nos conhecem, desde Marcelo Déda. Sabem que juntos podemos melhorar as suas condições de trabalho e ampliar ainda mais as suas conquistas. Esse é o nosso compromisso”, destacou a candidata a vice-prefeita, Eliane Aquino (PT).

29343878575_d6fd9c643e_hPropostas

Além de pagar os servidores em dia desde o 1o mês de governo e abrir concursos principalmente para a Saúde, Educação, Assistência Social e Guarda Municipal de Aracaju (GMA), Edvaldo pretende retomar os cursos de qualificação profissional continuada e tem propostas para categorias específicas, como a obediência ao Piso Nacional do Magistério para os professores de todos os níveis, a qualificação da GMA e a implantação do Plano de Cargos e Salários da Assistência Social.

“Os servidores da prefeitura de Aracaju sabem que têm em mim um parceiro e amigo, que já mostrou que respeita o seu trabalho, que vai resgatar a autoestima que perderam na atual gestão. Vou fazer isso administrando a prefeitura com ética, eficiência e diálogo, como fizemos antes. Reconstruir a cidade e recuperar a qualidade de vida só será possível com o seu apoio e o seu trabalho, amigo servidor”, disse.

Edvaldo descartou ainda a possibilidade de acessar os recursos da Previdência Municipal para regularizar os salários. “Não concordo. Deixei a Previdência na melhor situação, com mais de R$ 200 milhões. Nunca deixei de passar recursos para a Previdência. É muito importante que a mantenha. Não vou mexer. Não é à toa que eu deixei uma lei segundo a qual qualquer mudança referente à Previdência só pode ser feita com o voto de dois terços da Câmara – e não por maioria simples”, ressaltou.

Deixe uma resposta