Em encontro com servidores da Saúde, Edvaldo se compromete em realizar concurso e regularizar salários

O candidato a prefeito Edvaldo Nogueira (PC do B) e a vice Eliane Aquino (PT) foram recebidos nesta terça-feira (11) por importantes setores da Saúde municipal de Aracaju. O encontro foi mais uma oportunidade para estes profissionais apresentarem as suas pautas para a próxima gestão da cidade e expôr toda a insatisfação com a administração do prefeito João Alves Filho (DEM).

No Sindicato dos Enfermeiros do Estado de Sergipe (Seese), Edvaldo ouviu os representantes dos enfermeiros, assistentes sociais, farmacêuticos, odontólogos, fisioterapeutas, nutricionistas e técnicos de nutrição, psicólogos e agentes de saúde. As categorias elaboraram uma carta de compromisso única para apresentar ao candidato e reclamaram em uníssono do tratamento recebido atualmente.

30278777955_b8c23fd4e8_h “Nós viramos párias dentro da atual gestão, que só deu aumento real de salário para quem trabalha na administração direta. Tratam os servidores da Saúde diferente do resto, nem [gratificação por] insalubridade estamos recebendo. Ficamos em greve por vários meses e mesmo assim não sabemos quando vamos receber o salário. Hoje é dia 11 e o dinheiro ainda não entrou. O 13o não temos nem esperança de receber”, revelou Shirley Marshal Díaz Morales, representante dos enfermeiros.

Concurso Público

Outro pauta presente na carta de compromisso recebida por Edvaldo foi a necessidade de se fazer concurso público. Os servidores reclamaram que os servidores efetivos estão cada dia mais desvalorizados, com o trabalho precarizado, o excesso de cargos comissionados, a terceirização e até quarteirização do serviço, o que acaba gerando uma alta rotatividade nos cargos e atrapalhando a qualidade do atendimento. Os servidores da Saúde pedem também que se cumpra a mesa de negociação do Sistema Único de Assistência Social (SUAS), atualmente irregular e sem funcionamento de fato.

A representante dos assistentes sociais, Rosely Anacleto, ressaltou que essa política de “terrorismo” da atual gestão acabou por unir a categoria. “Foi um tiro no pé deles, porque acabamos nos fortalecendo juntos. Queremos voltar ao padrão da qualidade de vida que havia antes, não queremos nenhum privilégio, só o que tínhamos antes e foi destruído”, afirmou.

29648529353_48e5284d9f_hCaos na Saúde

Eliane Aquino admitiu que antes de entrar na campanha não tinha ideia de que a situação da Saúde em Aracaju era tão grave. “Pior é que ouvimos esse mesmo discurso de várias categorias de servidores. O desmonte que a atual gestão fez é evidente. Ouço de muito gente a frase ‘éramos felizes e não sabíamos”, discursou.

Edvaldo Nogueira disse ter uma alegria pessoal de ter enfrentado todos os problemas da Saúde e deixado a prefeitura numa situação confortável para o atual prefeito. Ele também afirmou o compromisso com o concurso público. “Abri 3.250 vagas na minha época. Acredito num serviço público profissionalizado, como política de Estado, principalmente nas áreas fundamentais da Saúde, Assistência e Finanças. A estabilidade que o concursado ganha não é só no cargo, mas é a estabilidade do serviço público. O Estado não pode ser mínimo nem máximo, mas o necessário”, destacou.

Política Salarial

Sobre a questão da política salarial, Edvaldo disse que nunca foi demagogo. “Quando prefeito, em época de crise, já dei aumento linear para todos de 1%. Mas no outro ano, dei 18%, depois 17%. Com esses aumentos possíveis anualmente, houve servidor que ao se aposentar na minha época teve aumento de 45%. Outra coisa que ninguém pode reclamar é do salário em dia. Nunca atrasei”, relembrou.

Edvaldo também reafirmou o compromisso de voltar com as mesas de negociação do SUAS, “não como mesa de imposição”. “Sou a favor da isonomia de tratamento do servidores. O meu primeiro trabalho na prefeitura será de regularizar o pagamento. Eu e Déda acabamos com essa história de ‘calendário’ de pagamento ao pagar o salário em dia para todos. Servidor precisa ter dignidade, ética e eficiência. Vou enfrentar e resolver esse desafio da Saúde e deixar a prefeitura melhor do que eu encontrei. O outro candidato já está ao lado da atual gestão e auxiliado por gente que não acredita no serviço público. Eles vão é piorar as coisas, dividindo a prefeitura entre mais gente”, ressaltou.

Fotos: Marco Vieira

Deixe uma resposta