Militância do PT confirma compromisso com Edvaldo e Eliane

A noite de segunda-feira (10) foi movimentada pelos apoios recebidos pelo candidato Edvaldo Nogueira (PC do B) e Eliane Aquino (PT) para o 2o turno da eleição municipal. Edvaldo foi recebido por uma multidão de militantes, dirigentes e políticos ligados ao Partidos dos Trabalhadores no auditório do Sindicato dos Bancários de Sergipe (Seeb).

O presidente estadual do partido, Rogério Carvalho, defendeu que os militantes vão às ruas e às redes sociais para defender o legado do PT na saúde. “Fizemos o maior projeto de saúde do país em Aracaju, na época de Déda e de Edvaldo. Ganhamos o prêmio HumanizaSus, o Brasil Sorridente e o David Capistrano, maior prêmio de saúde do país. Deixamos 95% das equipes de Saúde da Família e 100% das unidades básicas de saúde (UBS) padronizadas. Tudo o que o estado e o município tem de saúde hoje funcionando se deve ao nosso trabalho”, relembrou.

Dois lados

Vice prefeito de Aracaju na época de Edvaldo, Sílvio Santos reafirmou que mesmo com “um massacre midiático diário” o partido continua vivo. “Eles não nos toleram porque governamos para os mais pobres. O PT nunca lotou auditório assim para perder eleição”, disse. A professora Rosângela Santana lembrou da história de luta da militância para fortalecer a disputa no 2o turno. “Fazer debate com esse Valadares Filho aí é a coisa mais fácil do mundo. Ele só conheceu Aracaju quando fez campanha com a gente, e nunca agradeceu. Mas ninguém esquece da família Valadares, que colocou a cavalaria contra os professores”, disse.

A deputada estadual Conceição Vieira ressaltou os lados que estão em disputa agora na eleição. “Vamos botar o vermelho na rua. Do outro lado estão os que são contra os trabalhadores, que estão tirando todos os direitos do povo através do governo Temer”, afirmou. A também deputada estadual Ana Lúcia diz que a luta é contra “uma política perversa que quer acabar com 100 anos de conquistas dos trabalhadores. Mostramos uma outra forma de governar, que escuta o outro e debate pelo melhor argumento. Como é que o outro lado se diz o novo e convive com o crime organizado e o estado de exceção atuais no Brasil? Quem pode resolver os graves problemas da cidade é Edvaldo e Eliane”, destacou.

Debate Político

O vereador mais votado em Aracaju nesta eleição, Iran Barbosa, ressaltou que “o discurso de criminalização da política é usado para que os criminosos que se dizem apolíticos sejam eleitos. A política é um instrumento coletivo para mudar a sociedade, não para beneficiar poucos. O debate político precisa ser diário”, apontou. A candidata a vice-prefeita Eliane Aquino afirmou o que precisa ser feito neste momento da campanha. “Vamos olhar nos olhos do maior número de pessoas, conversar e saber o que elas estão pensando sobre a nossa cidade, sobre o que lembram da obra que deixamos em Aracaju.

Eliane lembrou também porque decidiu entrar para política, algo que nunca tinha pensado antes. “Mas é como se eu não tivesse o direito de não participar. Deus não me colocou ao lado de Marcelo Déda Chagas por acaso. Minhas maiores referências políticas, Déda e José Eduardo Dutra, foram do PT, chegaram ao poder e nunca se desviaram. Eu sempre falei para Edvaldo que a gente não precisava usar a imagem de Déda na campanha, deixar ele descansar em paz. Mas na campanha que fazemos por toda a cidade, ele está presente”, disse.

A candidata também lembrou do convite feito pelo atual adversário no 2o turno para que ela compusesse a chapa com ele. “Pensando hoje, imaginem a vergonha que teria sido de eu trocar de partido e ser vice dele. Ser novo não é concorrer a um cargo pela 1a vez, se for assim a única nova seria eu nesta eleição. O novo é querer fazer a coisa certa, respeitar o dinheiro público e o cidadão que precisa dos serviços públicos”, destacou.

“Novo?”

Edvaldo Nogueira começou ressaltando a força de Eliane Aquino e a vitória no 1o turno. “Aracaju é a cidade de todas as cores. Eles estão comemorando o 2o lugar. Mas o segundo turno é bom porque separa de vez o joio do trigo. As diferenças com o outro candidato não são apenas eleitorais, são políticas. O novo não é só na idade, é de ideias, de ideal. Ele passou 10 anos sem nenhum projeto, sem nenhum pronunciamento importante na Câmara Federal. Compare-o com outros deputados sergipanos. Nosso companheiro Fábio Mitidieri (PSD) está há menos de dois anos em Brasília e já tem mais destaque do que ele”, comentou.

Edvaldo seguiu o mesmo tom do debate da TV Atalaia e não poupou Valadares Filho de críticas. “Todo mundo sabe o quanto gosto de festa. Sou zabumbeiro, fui eu quem organizei o Forró Caju e o Projeto Verão. Mas é inadmissível ele enquanto deputado priorizar e fazer emendas de R$3 milhões para festas e só R$600 mil para Saúde e zero para a Educação. Como é que alguém pode ser o novo se trocou de lado tão rapidamente e está com as raposas velhas da política? O que ele vai fazer na Saúde de Aracaju vai ser pior do que João Alves fez. O pessoal dele vai com uma sede de anteontem pelas boquinhas do poder”, disse.

Debate

O candidato também falou do debate do 1o turno, na TV Sergipe, em que um problema de saúde o impediu de ter um melhor desempenho. “Naquele dia eu não errei o lugar da ponte que fizemos e que liga o Augusto Franco ao Beira Rio. Isso eu nunca erraria. Eu errei em fazer campanha achando que fosse um super-homem, perdendo peso e me alimentando mal. Errei em não me cuidar fisicamente e fiquei muito irritado comigo mesmo. Ou vocês acham que eu tenho medo de Valadares Filho?”, questionou.

“Vamos derrotá-lo porque temos um projeto. Ganhamos o 1o e vamos ganhar o 2o turno, com a ajuda da militância dos partidos da nossa coligação, com todas as cores e sexos, mostrar que somos melhores que os almofadinhas. Vamos ganhar e reconstruir a nossa cidade, mesmo que João deixe a prefeitura como terra arrasada”, finalizou Edvaldo.

Fotos: Janaína Santos

Deixe uma resposta