“Quem aprendeu a fazer política olhando para o trabalhador fomos nós”

Os movimentos sociais em Aracaju declararam nesta quarta-feira (19) apoio ao candidato a prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) e a sua vice, Eliane Aquino (PT). Em evento, realizado no Sindicato dos Bancários, que reuniu centenas de pessoas, a Frente Brasil Popular, as centrais sindicais e os movimentos populares e estudantis se uniram em defesa do projeto pela retomada da qualidade de vida na capital sergipana. Os documentos

Declararam apoio e engajamento à campanha de Edvaldo e Eliane a Central Única dos Trabalhadores (CUT), a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), da União Geral dos Trabalhadores (UGT), a União Sergipana dos Estudantes Secundários (Uses), o Diretório Central dos Estudantes da Universidade Federal de Sergipe (DCE/UFS), a União da Juventude Socialista, do Movimento Organizado dos Trabalhadores Urbanos (MOTU), o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), o Movimento Nacional de Direitos Humanos, além da própria Frente Brasil Popular.

Democrático e popular

As lideranças destes movimentos defenderam um “projeto democrático e popular para Aracaju”, o que inclui a licitação do transporte público, a gestão democrática nas escolas, a prioridade para a Saúde e Educação, a valorização dos trabalhadores e a ampliação da participação popular na gestão municipal. Edvaldo e Eliane assinaram um documento se comprometendo com as pautas.

“O caminho que trilhamos em Aracaju foi baseado na ética, honestidade, correção na aplicação dos recursos públicos para beneficiar os que mais precisam, na democracia e na participação popular. Na nossa gestão, a cidade se modernizou, Aracaju entrou no século XXI, com melhoria em todos os serviços públicos, mas tudo isso foi desmantelado, destruído, liquidado nos 4 anos da gestão de João Alves”, afirmou Edvaldo Nogueira.

Projetos

Ele convidou os militantes a refletirem sobre os dois projetos que estão disputando o comando da gestão municipal. “O outro projeto, que se apresenta como novo, mas que está junto dos que sempre se locupletaram no poder, que sempre massacraram os trabalhadores, por isso o nosso desafio é ganharmos as ruas, conquistarmos o voto, ser um instrumento de recuperação do nosso projeto. Vamos ganhar esta eleição, porque a população está percebendo o que há por trás de uma cara nova, mas que tem um projeto antigo, corrupto e violento que quer tomar conta de Aracaju”, disse.

A candidata a vice, Eliane Aquino, destacou que “a sociedade começou a enxergar a diferença que existe entre os dois projetos”. “Não temos motivo para baixarmos as nossas cabeças. Qualquer um que honra a história de Marcelo Déda tem a obrigação de carregar o legado dele e cuidar da população. Quem aprendeu a fazer política olhando para o trabalhador fomos nós. O sonho não acabou, temos muito que lutar pelas gerações futuras. Não temos o direito de estragar o sonho dos jovens. Temos obrigação com o futuro, só quem sabe carregar é quem tem valores, ética, garra e sinceridade na alma. Quanto menos apoios daquele tipo que o nosso adversário tem, nós tivermos, melhor para a nossa gestão. O que a gente precisa é de apoio popular”, disse.

Fotos: Marco Vieira

Deixe uma resposta